Última hora

Em leitura:

Vitoria-Gasteiz despede-se como Capital Verde


terra-viva

Vitoria-Gasteiz despede-se como Capital Verde

Em parceria com

Vitoria-Gasteiz foi a Capital Verde Europeia de 2012. A capital política do País Basco foi a primeira cidade espanhola e do sul da Europa a receber essa distinção.

Trata-se de uma cidade compacta, plana, com 240 mil habitantes, onde as palavras-chave são desenvolvimento sustentável e deslocações suaves.

Muitas pessoas utilizam a bicicleta, inclusive o presidente da Câmara, Javier Maroto: “Para passear e para trabalhar. Nos últimos anos, multiplicámos por três o número de pessoas que utiliza a bicicleta como meio de transporte habitual, na nossa cidade”.

Hoje, 7% das deslocações realizam-se em bicicleta, um nível comparável ou mesmo superior ao do norte da Europa. Há cinco anos, a bicicleta era apenas usada em 3% das deslocações.

A cidade desenvolveu os transportes públicos. Introduziu o elétrico e redesenhou a rede, como explica o responsável da régie, Javier Latorre: “Nós tínhamos uma rede de transportes radial, convencional, e transformámo-la numa rede ortogonal. Essa modificação foi realizada em apenas um dia: 30 de Outubro de 2009. Foi uma revolução, porque foi necessário mudar 60% das paragens de um dia para o outro”.

Juan Carlos Escudero dirige o Centro de Estudos Ambientais. Foi aqui que a cidade foi repensada em termos de deslocações. Foram criadas zonas prioritárias, de velocidade limitada e o preço do estacionamento no centro da cidade triplicou. Políticas que valeram à cidade a distinção de Capital Verde, atribuída pela Comissão Europeia.

“É importante também aqui destacar o que representou a Capital Verde do ponto de vista desse sentimento, desse orgulho dos cidadãos da cidade de Vitória de fazerem parte desta comunidade”, realça Escudero.

Lucia Ruiz é uma das cidadãs que não esconde o orgulho: “A cidade teve sempre fama de ter bastantes espaços verdes, no centro e não só na periferia. Antes, eu vivia em Barcelona, as pessoas queixavam-se imenso de que não havia parques, que não podiam passear os cães, sentar-se num banco à sombra de uma árvore. E isso foi uma coisa que Vitoria sempre teve. Agora, está a dar-se a conhecer, graças à capital verde”.

Lucia faz parte de uma rede de voluntários que serviu de apoio à capital. Uma rede que esteve envolvida na informação aos habitantes, na organização de jogos para as crianças e na plantação de árvores na cintura verde.

“Penso que em parte isso funcionou bem, porque muitas pessoas juntaram-se a uma rede de voluntários para apoiar as atividades que tiveram lugar. Demos o nosso pequeno contributo para organizar este tipo de atividade, para levar o verde aos habitantes”, afirma Lucia.

A cidade francesa de Nantes vai suceder a Vitoria-Gasteiz, como capital verde europeia, em 2013.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

terra-viva

Conforto e total autonomia energética de braço dado num chalé dos Alpes