Última hora

Última hora

Funeral das vítimas paquistanesas da violência islamita

Em leitura:

Funeral das vítimas paquistanesas da violência islamita

Tamanho do texto Aa Aa

Nove vítimas da violência islamita foram a enterrar, esta quinta-feira, em várias aldeias do Paquistão.

Eram membros de diferentes equipas de vacinação contra a polio, mortos a tiro por grupos islamitas.

Carachi e os arredores de Penshawar foram as zonas mais fustigadas.

A Unicef e a Organização Mundial de Saúde mandaram suspender a campanha, de imeidato.
Nas ruas, diz que tudo foi provocado pelo adiamento das eleições:

“Ninguém estava contra a campanha. Não somos capazes de entender a razão desta onda de violência que começou de repente, contra as equipas de vacinação. Desconfiamos que isto seja tudo provocado pelo adiamento das eleições gerais”.

Pode haver motivações políticas, por trás destes assassinatos.

Mas há também quem fale em pura ignorância que inclui a campanha de vacinação num plano norte-americano, para a destruição do Paquistão.

Finalmente, esta violência é atribuída, por muita gente, ao preconceito religioso dos islamitas, tradicionais opositores das campanhas de prevenção clínica.

A zona de Penshawar, na fronteira com o Afeganistão, é considerada um santuário dos talibans.