Última hora

Última hora

EUA: Restam poucos dias para evitar "abismo orçamental"

Em leitura:

EUA: Restam poucos dias para evitar "abismo orçamental"

Tamanho do texto Aa Aa

Os dirigentes políticos norte-americanos têm pouco mais de uma semana para evitarem o temido “abismo orçamental”. As negociações entre o presidente Barack Obama e o republicano John Boehner estão num impasse, depois dos republicanos terem rejeitado o plano do líder do partido.

Numa posição fragilizada, John Boehner, líder dos republicanos na Câmara dos Representantes, afirma: “Assistimos a esta situação devido à divisão política do país e as divisões aqui em Washington. Tentar conciliar as diferenças tem sido difícil. Mas se fosse fácil, posso garantir que teria sido feito há décadas”.

Sem um acordo, a 1 de janeiro, de forma automática, os Estados Unidos vão aumentar os impostos e reduzir as despesas num total de 600 mil milhões de dólares.

O estratega do JP Morgan, David Kelly, defende que “haverá uma pressão inacreditável por parte do povo americano, de cada um dos empresários e contribuintes do país. Por causa disso, penso que chegarão a um acordo. É importante perceber que as pessoas não se devem preparar para o pior cenário, a ausência de um acordo”.

Em novembro, o otimismo em relação a um acordo levou os norte-americanos a consumir como já não faziam há três anos. Subiram também os investimentos das empresas e as encomendas de bens duradouros. Mas os receios regressaram este mês. O índice de confiança caiu quase dez pontos, um valor acima do previsto.