Última hora

Última hora

Violência regressa a Alexandria em vésperas de referendo

Em leitura:

Violência regressa a Alexandria em vésperas de referendo

Tamanho do texto Aa Aa

A violência voltou a eclodir em frente à mesquita al-Qaid Ibrahim, em Alexandria, onde, há uma semana, decorreram os confrontos que fizeram quinze feridos. O cenário é o mesmo: milhares de apoiantes do presidente Mohammed Morsi, convocados pela Irmandade Muçulmana para vir defender o projeto de Constituição que está em referendo, contra algumas centenas de opositores.

Ambas as partes responsabilizam-se mutuamente pelo início das hostilidades. Um advogado, pró-Morsi, afirmava que “as manifestações destinam-se a demonstrar a importância das mesquitas para os muçulmanos. Aquilo que aconteceu na passada sexta-feira, ao atacarem esta mesquita, não é aceitável para ninguém, seja muçulmano ou não.”

É, portanto, num ambiente de sectarismo e de profunda tensão que o Egito se prepara para a segunda fase do referendo constitucional, que acontece este sábado.

A primeira ronda da consulta popular terá dado cerca de 57% dos votos ao ‘sim’, de acordo com a Irmandade Muçulmana. Mas a oposição denuncia fraudes massivas e argumenta que o texto em causa discrimina as minorias, representando um mergulho no Islamismo.