Última hora

Última hora

Autoridades americanas não querem mais armas nas escolas

Em leitura:

Autoridades americanas não querem mais armas nas escolas

Autoridades americanas não querem mais armas nas escolas
Tamanho do texto Aa Aa

Representantes da National Rifle Association (NRA) querem mais policiamento nas escolas, e deixaram-no claro numa conferência de imprensa, interrompida, duas vezes, por protestos.
Por seu lado, as autoridades americanas não acreditam que seja esta a solução.

“28.300 escolas públicas, cerca de um terço do total, têm segurança armada. Na realidade, havia dois polícias armados em Columbine e isso não impediu 15 pessoas de morreram e 23 de ficarem feridas”, palavras proferidas pela senadora Dianne Feinstein.

No exterior decorria uma manifestação contra a NRA que representa cerca de quatro milhões de proprietários de armas e é um dos grupos de pressão mais poderosos dos Estados Unidos.

Um americano afirma:

“Eu acho que seguranças armados nas escolas está absolutamente errado. Isso só vai causar mais problemas.”

Um outro acrescenta:

“20 crianças morreram, as nossas leis foram quebradas, e o que aconteceu pode acontecer de novo amanhã.”

Nos Estados Unidos a venda de armas disparou. Segundo os meios de comunicação americanos também o número de associados da NRA cresceu cerca de 8000 pessoas por dia desde o tiroteio em Newtown.