Última hora

Última hora

Papa perdoa antigo mordomo

Em leitura:

Papa perdoa antigo mordomo

Tamanho do texto Aa Aa

O Papa Bento XVI perdoou, este sábado, o antigo mordomo que roubou documentos privados do sumo Pontífice, cedendo-os a um jornalista.

Paolo Gabriele, de 46 anos, foi perdoado por ocasião dos indultos de natal.

“Paoletto”, como ficou conhecido, foi condenado por roubo agravado, por um tribunal do Vaticano, em outubro e cumpria uma pena de 18 meses no quartel da polícia do Vaticano.

A advogada do mordomo, Cristina Arru, afirmou que ambos “tiveram a oportunidade de falar, depois de vários meses, e que são duas pessoas que trabalharam juntas, lado a lado, dia após dia, por um longo tempo e preocupam-se um com o outro.”

O antigo mordomo foi detido a 23 de maio, depois da polícia do Vaticano ter encontrado documentos papais no seu apartamento, no Vaticano.

O indulto papal é visto, pelo jornalista Andrés Beltramo Alvarez, como um modo do Vaticano colocar um fim ao escândalo. “Oficialmente, o caso não está encerrado, mas nestas ações pode ver-se, claramente, que pretendem virar a página,” conclui.

Nas ruas, o perdão papal ao antigo mordomo é visto com alguma desconfiança e reflete o secretismo que envolve a Cidade do Vaticano.

“Provavelmente isso foi feito por causa do Natal, só por essa razão. Por causa das aparências. No fim de contas, está tudo envolto em mistério, dentro dos muros do Vaticano,” afirma uma turista.