Última hora

Última hora

A condição de Monti para as eleições é a sua "agenda"

Em leitura:

A condição de Monti para as eleições é a sua "agenda"

Tamanho do texto Aa Aa

Esperava-se uma tomada de posição quanto às eleições de fevereiro. Mas Mario Monti não revelou diretamente se vai ou não apresentar-se como candidato. Antes avançou com “um programa para mudar Itália” que será publicado em breve.

O primeiro-ministro demissionário apontou que se trata de um conjunto de propostas imprescindíveis para levar a bom porto o país. E sugeriu que a força política que adotar esse programa poderá vir a contar com a sua colaboração para as eleições.

Realçando que não pertence a nenhum partido, Monti assumiu, então, que a condição para unir esforços, é a implementação das ideias contidas no que apelidou de “agenda Monti”. Se isso acontecer, afirmou, não vai evitar ser novamente “um ponto de referência”.

O antigo comissário europeu realçou que, durante o seu governo, a Itália “conseguiu vencer a crise financeira” sem recorrer a “ajudas europeias”, “nem ao FMI”.