Última hora

Última hora

Massacre à porta de uma padaria na Síria

Em leitura:

Massacre à porta de uma padaria na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de pessoas morreram na sequência de um ataque aéreo do exército sírio que atingiu uma padaria na cidade rebelde de Halfaya no dia em que o enviado especial da ONU regressou a Damasco em busca de uma solução para o conflito.

O Observatório Sírio dos Direitos do Homens (OSDH), uma ONG com sede em Londres, fala em pelo menos 60 mortos e mais de 50 feridos em estado crítico, em resultado daquele que já é chamado o pior massacre em quase dois anos de guerra civil.

Centenas de pessoas aguardavam por pão, depois de vários dias de privação, por causa do cerco à cidade das tropas fiéis a Bashar al-Assad. Os rebeldes afirmam que se vive uma “crise humanitária” em Halfaya, na província de Hama, que tem sido palco de violentos combates nos últimos dias.

Mais a norte, em Hawa, na província de Aleppo, os guerrilheiros afirmam ter tomado mais uma base do exército sírio, num domingo sangrento que terá custado a vida a perto de duas centenas de pessoas.

É neste clima de enormes tensões que Lakhdar Brahimi regressa a Damasco para mais uma ronda de negociações com o regime. O enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe teve de vir de carro desde o Líbano, já que os combates chegaram recentemente ao eixo que liga o aeroporto à capital.

Cerca de 44 mil pessoas foram mortas nos 21 meses de conflito na Síria, segundo dados do OSDH.