Última hora

Última hora

Aumenta nos Estados Unidos a polémica sobre a posse de armas

Em leitura:

Aumenta nos Estados Unidos a polémica sobre a posse de armas

Tamanho do texto Aa Aa

O homem que matou dois bombeiros e feriu outros dois num tiroteio antes de suicidar-se em Webster  no estado de Nova York deixou um bilhete no qual falava em queimar o bairro e “matar as pessoas”.
 
William Spengler, um ex-detido de 62 anos usou três arma,  uma era semiautomática o modelo usado pelo jovem do massacre na escola do Conneticut.
 
“Ele armou-se  com um revólver Smith Wesson e 0,38, uma espingarda 12 Mossberg calibre, e uma espingarda 0,223 Bushmaster com um supressor de flash.”
 
As autoridades encontraram na casa do ex-presidiário, condenado pelo assassinato de sua avó em 1980, um corpo carbonizado que acreditam ser de Cheryl Spengler, sua irmã e com quem vivia.
 
Segunda feira, William Spengler ateou fogo à sua casa, quando os bombeiros chegaram começou a disparar,  matou dois,  feriu outros dois antes de suicidar-se.
 
Para explicar o seu ato deixou uma carta
que foi lida pelo chefe da Polícia de Webster, Gerald Pickering aos jornalistas:  
 
“Eu vou ler-vos uma das frases de duas ou três páginas da nota escrita  que mostra claramente a sua intenção, mas não fala dos seus motivos.
 “Eu ainda tenho de me preparar para ver  quanto do bairro posso destruir e fazer o que mais gosto e o que faço melhor matar pessoas. “ 
 
Barack Obama,  comprometeu proibir a venda de armas de assalto e carregadores longos, mas a Associação Nacional do Rifle assegurou que as medidas de controle de armas, como a proibição das de assalto, não impedirão outros massacres.