Última hora

Última hora

Euronews: Vinte anos a crescer e somar conquistas

Em leitura:

Euronews: Vinte anos a crescer e somar conquistas

Tamanho do texto Aa Aa

Foi há vinte anos, na ressaca da Guerra do Golfo, que a Euronews ligou os cabos. O primeiro projeto mundial de televisão multilinguas arrancou em cinco idiomas. A 1 de janeiro de 1993 foi lançado o primeiro canal de informação europeu, com emissão simultânea em alemão, espanhol, francês, inglês e italiano.

A evolução foi uma constante. Com sede em Lyon, o francês partiu como a língua forte na redação. Mas, desde o primeiro dia, dar uma perspetiva europeia e mais integradora à forma como se olhava o Mundo era lema da Euronews.

A aposta em agências noticiosas de diferentes origens ajudou. E mais línguas surgiram para ajudar a uma maior abrangência do canal. O português foi o sexto idioma da Euronews, onde entrou em 1999. Dois anos depois, chegou o russo.

Foi com uma emissão simultânea em 7 idiomas que a Euronews celebrou a primeira década. “Dez anos de existência e trabalho para o canal de informação europeu. É uma aposta de sucesso que se impõe na Europa à americana CNN”, ouviu-se então no boletim informativo do canal France 3.

O novo milénio representou mais notícias, mas acima de tudo mais público para a Euronews. E muito por causa de línguas como o turco ou persa, que se juntaram a uma lista onde também já figurava o árabe. Idiomas que expandiam a estação para lá do Mediterrâneo e para o Médio Oriente.

Em 2011, juntou-se à Euronews também o ucraniano. A equipa não para de crescer e o alcance da Euronews também. A Internet e as redes sociais ajudaram a uma expansão sem fronteiras. As imagens e as histórias da Euronews vagueiam pelo Youtube, são partilhadas no Twitter e comentadas no Facebook.

Aos vinte anos, a Euronews revela-se cada vez mais uma cadeia de televisão moderna e adaptada ao futuro. Deixou de se limitar ao tradicional pequeno ecrâ. Expandiu-se para os computadores, para os tablets, para os smart phones. A emissão pode ser acompanhada em todas as línguas através de uma aplicação especial para telemóveis.

A evolução da Euronews levou-a a abandonar o estilo inicial de vozes sem cara no ecrã. Os jornalistas mostram-se diante das câmaras e, cada vez mais, os repórteres da Euronews são vistos nos locais onde as grandes notícias acontecem.

Com a sede a manter-se em Lyon, a Euronews expandiu-se para outros pontos do globo e está presente com delegações em locais como Bruxelas, Londres, Cairo, Moscovo ou Washington.

Pela primeira vez equipas completas de novos idiomas vão começar em 2013 a trabalhar fora da redação principal da Euronews. A começar pelos gregos, que vão ter a sua própria newsdesk em Atenas. Segue-se a língua húngara, que irá funcionar a partir de Budapeste.

No fim de 2013 serão, pelo menos, 13 as línguas a dar voz às imagens que a Euronews leva todos os dias a mais de 7 milhões de espetadores em todo Mundo. Após 20 anos a mostrar-lhe o que passa no Mundo, é tempo de olhar para as próximas duas décadas e ter em conta o que nos diz sobre a Euronews o líder das Nações Unidas, Ban Ki Moon: “Espero sinceramente que a Euronews continue a dar ao Mundo as notícias que vão ao encontro das expetativas da comunidade internacional.”

1993-2013 20 Anos a informar