Última hora

Última hora

Três ativistas curdas assassinadas em Paris

Em leitura:

Três ativistas curdas assassinadas em Paris

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de curdos denunciam em Paris o assassinato de três ativistas na capital francesa.

Esta noite, três mulheres foram encontradas mortas, com uma bala na cabeça, no Centro de Informação do Curdistão. Entre as vítimas, encontra-se a representante em França do Congresso nacional do Curdistão, Fidan Dogan, e Sakine Cansiz, apresentada como “uma das fundadoras do PKK”, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, ilegalizado na Turquia.

A federação das associações curdas de França apelou a todos os curdos da Europa para “se unirem em Paris para denunciar o ataque”.

A investigação foi confiada à secção antiterrorista da polícia francesa.

O ministro do Interior frisou a “determinação das autoridades” em elucidar o crime. Manuel Valls explicou que “três mulheres foram abatidas, sem dúvida executadas, o que é algo grave e totalmente inaceitável”.

Os assassinatos acontecem depois dos meios de comunicação turcos terem anunciado um acordo entre Ancara e o líder separatista curdo Abdullah Öcalan, detido desde 1999, para pôr fim às hostilidades que duram há trinta anos.