Última hora

Última hora

Paris: "Tudo leva a crer que refém francês na Somália esteja morto"

Em leitura:

Paris: "Tudo leva a crer que refém francês na Somália esteja morto"

Tamanho do texto Aa Aa

Tudo leva a crer que o refém francês, detido na Somália, pelos islamitas da Al-Sahbab, tenha sido morto. Uma posição cautelosa do ministro francês da Defesa, após o fracasso do raid noturno na localidade de Bula Marir, a 120 quilómetros de Mogadíscio.

Um comando da Direção Geral de Segurança Externa francesa, tentou libertar Denis Allex, nome de código do agente secreto, capturado em 2009.

“Houve combates de grande violência ao longo do quais – e falo com precaução – tudo leva a crer que, infelizmente, Denis Allex tenha sido abatido pelos seus carcereiros. Durante esta tentativa de libertação do seu camarada, um soldado perdeu a vida, na sequência de ferimentos, e outro está desaparecido. Dezassete combatentes islamitas foram mortos durante a operação”, afirmou, em conferência de imprensa, Jean-Yves Le Drian, ministro francês da Defesa.

Os islamitas, por seu lado, garantem “deter o refém vivo”, afirmam ter capturado igualmente um soldado francês ferido e ameaçam a França de “consequências amargas”.