Última hora

Última hora

Governo britânico considera "inaceitável" atentado na Argélia

Em leitura:

Governo britânico considera "inaceitável" atentado na Argélia

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros confirmou a morte de um cidadão inglês, num complexo de gás, no sul da Argélia.

Falando aos jornalistas em Sydney, William Hague confirmou que, além da morte de um britânico, há também outros reféns, capturados por um grupo islamista:

“É absolutamente inaceitável. Neste caso é o sangue frio a assassinar pessoas que estão no seu trabalho. Deste modo, não haverá nenhuma desculpa, se o caso tiver ligações à Líbia, Mali ou a qualquer outro sítio”.

Tudo aconteceu no complexo industrial de Tigantourine, no sul da Argélia, perto da fronteira com a Líbia.

David Cameron está a acompanhar a situação, através de contactos telefónicos com o presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika.

O Primeiro-Ministro da Noruega pede calma e serenidade:

“Neste momento, não queremos especular sobre quem está por trás disto, ou sobre as suas motivações. Hoje, queremos garantir que os nossos compatriotas estejam seguros, e que nenhuma vida humana seja perdida”.

Entre os reféns, há três cidadãos da Noruega.

O grupo islamista Katiba des Moulathamine, uma ramificação regional da Al Qaeda, reivindicou o atentado. Garante ter em sua posse 41 reféns de várias nacionalidades, americanos, japoneses e europeus.