Última hora

Em leitura:

Crise de reféns: intervenção militar argelina irrita governos


Argélia

Crise de reféns: intervenção militar argelina irrita governos

Cerca de duas dezenas de cidadãos filipinos fazem parte do grupo de reféns do comando islâmico que ocupou um campo de gás na Argélia. 
 
Um refém filipino conseguiu escapar com um cidadão japonês antes do ataque de quinta-feira pelas forças argelinas.
 
Por ser turno, o Governo do Japão confirmou esta sexta-feira a libertação de três de seus cidadãos  enquanto 14 trabalhadores  que se encontravam na empresa de exploração de gás na Argélia estão desaparecidos.
 
O Executivo japonês detalhou em comunicado que não pode confirmar se esses 14 cidadãos, se encontram a salvo devido à falta de informações  
  
A Noruega  declarou que as informações sobre os reféns são desencontradas. A estimativa é que 40 pessoas tenham sido sequestradas, a maioria, estrangeiros.
 
A agência oficial argelina APS informou que o Exército da Argélia resgatou ontem  600 trabalhadores argelinos e estrangeiros. 
 
O Governo britânico expressou ontem desagrado por não ter sido informado previamente pelas autoridades argelinas da sua decisão de intervir militarmente para tentar libertar os reféns, havendo informações de que vários terão morrido durante o ataque.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Cafés islâmicos florescem no Cairo