Última hora

Última hora

Pelo menos 48 reféns mortos em exploração de gás na Argélia

Em leitura:

Pelo menos 48 reféns mortos em exploração de gás na Argélia

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro argelino deverá anunciar hoje o balanço oficial da tragédia na exploração de gás de In Amenas, junto à fronteira Líbia.

Segundo uma fonte dos serviços de segurança, foram encontrados ontem os corpos de 25 reféns. As autoridades já tinham antes confirmado a morte de outros 23 reféns, estrangeiros e argelinos, bem como de 32 sequestradores no assalto final das forças especiais do Exército.

Mas todos estes números foram avançados ainda antes dos militares terminarem as buscas ao local que esteve, durante quatro dias, nas mãos do grupo com ligações à Al-Qaida, liderado pelo argelino Mokhtar Belmokhtar.

Pelo menos cinco sequestradores foram detidos. Outros três terão conseguido fugir.

A operação do Exército argelino permitiu libertar 792 reféns, entre os quais 107 estrangeiros.

Alan Wright, um britânico que escapou pelos seus próprios meios junto com outros reféns, explica que se depararam com um grupo de homens armados e pensou que “tinha feito o maior erro da [sua] vida”, porque os homens começaram a separá-los. Wright diz que foi uma sensação “horrível, pensar que apenas escaparam para cair nas mãos de terroristas”.

Para alívio do refém britânico, agora reunido com a família, os homens armados com que se deparou eram elementos do Exército argelino.