Última hora

Última hora

Ministro holandês das Finanças eleito novo líder do Eurogrupo

Em leitura:

Ministro holandês das Finanças eleito novo líder do Eurogrupo

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro das Finanças da Holanda foi eleito como presidente do Eurogrupo. Jeoren Dijsselbloem sucede ao luxemburguês Jean-Claude Juncker, que estava há oito anos à frente do fórum de ministros das Finanças da Zona Euro.

A eleição do ministro holandês, na reunião desta segunda-feira em Bruxelas, não foi uma surpresa, já que era o único candidato ao posto.

O novo líder do Eurogrupo frisou que “a solidariedade está no topo da [sua] lista de prioridades” e disse estar “convencido que trabalhar na direção de um orçamento sustentável e equilibrado em diferentes países, não entra em conflito com a solidariedade”.

A Espanha absteve-se, mas todos os outros países apoiaram a eleição de Dijsselbloem, incluindo a França. O ministro francês das Finanças tinha antes exprimido reservas, sublinhando a inexperiência do homólogo holandês.

Pierre Moscovici disse esperar “que o novo presidente não seja apenas o presidente dos [países] AAA contra os outros, do norte contra o sul, dos países virtuosos contra os que não o serão, do equilíbrio contra o crescimento. É preciso conseguir reconciliar todas estas dimensões”.

Descrito como um “estratega” e “bom mediador” na Holanda, o ministro de 46 anos assumiu a pasta das Finanças há dois meses.

A correspondente da euronews, Margherita Sforza, afirma que o novo presidente do Eurogrupo “é a expressão de uma Europa forte, uma Europa que as agências de notação promoveram com o voto máximo; mas terá de negociar com os países do sul, como a Grécia e Chipre, ao mesmo tempo que mantém a integridade da Zona Euro e evita alargar o fosso entre o norte e o sul da Europa”.