Última hora

Última hora

OIT: O cenário negro do desemprego em 2013

Em leitura:

OIT: O cenário negro do desemprego em 2013

Tamanho do texto Aa Aa

O desemprego no mundo vai piorar e deverá ultrapassar o patamar dos 202 milhões este ano, apesar da retoma da economia anunciada pelo Banco Mundial.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) tece um cenário negro no relatório anual sobre as tendência mundiais do emprego, no qual denuncia as políticas incoerentes, a começar pela zona euro.

O analista do ING, Peter Vanden Houte, acrescenta: “O desemprego é um indicador retardatário. O crescimento deverá ser fraco na Europa até ao segundo trimestre de 2013 e o desemprego deverá subir ao longo do ano”.

Em 2012, o número de desempregados terá aumentado para um total de 197,3 milhões. Desde 2007, há mais 28 milhões de pessoas sem trabalho. Mas o pior está para vir, com um valor recorde previsto de 202 milhões este ano.

No relatório, a OIT denuncia um agravamento do desemprego na região asiática, devido à queda da procura na Europa, mas sobretudo a situação dos jovens.

São cada vez mais os jovens que não conseguem entrar no mercado do trabalho, os que vêm deteriorar-se as condições laborais e, fenómeno inédito, os que sofrem desemprego de longa duração desde a entrada no mercado do trabalho. São já 35%, contra 28,5% em 2007.

A Organização Internacional do Trabalho diz que, dos 197 milhões de desempregados, registados no ano passado, 73,8 milhões são jovens, o que corresponde a uma taxa de 12,6%. Mas nos próximos dois anos deverá haver mais meio milhão de jovens sem trabalho.

A situação é particularmente alarmante na Europa, onde quase 13% dos jovens está sem trabalho, fora do ensino ou de uma formação profissional.
Um desalento partilhado por 39 milhões de pessoas no mundo que deixaram de procurar emprego.