Última hora

Última hora

Mali: refugiados vivem dias de incerteza

Em leitura:

Mali: refugiados vivem dias de incerteza

Tamanho do texto Aa Aa

A situação dos refugiados no Mali complica-se. Os ataques aéreos franceses prosseguem e a população foge. Não há campos de refugiados. Há milhares sem qualquer tipo de ajuda. Muitos homens deixaram as famílias. Uma mulher explica:

“Fugi por causa dos bombardeamentos. Era muito perigoso. Saí a pé com o meu marido e quatro filhos. Andámos dois dias porque não conseguimos encontrar alguém para nos levar. O meu marido foi para Abidjan e eu estou sozinha com as crianças.”

Espera-se que mais de 400 mil pessoas fujam para os países vizinhos nos próximos meses. 147 mil já terão abandonado o país.

Mammadou Diallo, representante de uma ONG, afirma:

“Tivemos de partir de Sevare, rapidamente, porque os jiadistas estavam a chegar, o nosso povo já não estava seguro.”

Sem fim à vista, na escalada da violência, a crise dos refugiados ganha novas proporções. Eles fogem do avanço dos rebeldes e dos recentes atentados. Os refugiados que permanecem no Mali, são os maiores esquecidos neste conflito, como testemunha o enviado especial da Euronews, Francois Chignac.