Última hora

Última hora

Marcha pelo controlo das armas

Em leitura:

Marcha pelo controlo das armas

Tamanho do texto Aa Aa

Apesar do frio, milhares de pessoas participaram na marcha “Washington contra a violência das armas”, um protesto de apelo ao fim da venda livre de espingardas automáticas do tipo militar e um maior controlo no acesso às armas de fogo.

O presidente da Câmara da capital americana liderou a manifestação. “Temos que tirar estas armas de assalto nas nossas ruas e da nossa sociedade, temos que ter exames de perfil e temos que perceber que as armas não podem estar nas mãos de gente psicótica”, referiu Vincent Gray.

Pessoas de vários quadrantes participaram na marcha, incluindo uma centena de pessoas de Sandy Hook, cidade do Connecticut onde 20 crianças foram abatidas por um atirador solitário em Dezembro. Congressistas, atores e líderes religiosos também contribuíram para fazer passar a mensagem. “O público está muito ativo nesta altura e temos que empurrar isto para mudanças na legislação”, afirma Kathleen Turner.

Stefan Grobe, correspondente da Euronews interpreta o contexto da manifestação. “A América contra as armas falou com força e a administração Obama está determinada a fazer a nação agir, mas a grande questão é saber isto vai ecoar no congresso”, refere.