Última hora

Última hora

Camboja inicia quatro dias de cerimónias fúnebres do rei Norodom Sihanouk

Em leitura:

Camboja inicia quatro dias de cerimónias fúnebres do rei Norodom Sihanouk

Tamanho do texto Aa Aa

Tiveram início, no Camboja, as cerimónias fúnebres do antigo rei Norodom Sihanouk.

Esta manhã, após um curta oração, o caixão saiu do Palácio Real acompanhado pela Guarda Real e foi transportado para o crematório construído de propósito para o efeito em Phnom Penh.

Junto ao caixão seguiam a rainha Monique e o filho e monarca desde 2004, Norodom Sihamoni, com o cabelo rapado em sinal de luto.

Falecido a 15 de outubro de 2012, o corpo de Norodom Sihanouk permaneceu em câmara ardente no Palácio Real durante três meses, uma tradição seguida desde 1960, após a morte do seu pai, Norodom Suramarit.

Sihanouk foi a mais importante figura da história contemporânea cambojana, assumindo papéis de destaque. Foi primeiro-ministro, chefe de Estado e monarca.

Foi testemunha privilegiada dos momentos chave da história do país: desde a independência de França em 1953 até ao regresso da paz em 1988, após décadas de guerra civil e do regime dos Khmers Vermelhos, a quem se aliou entre 1975 e 1979. Em seguida exilou-se e só regressou ao Camboja 12 anos depois, em 1991.

Detentor de um dos reinados mais longos da Ásia, Norodom Sihanouk abdicou do trono em outubro de 2004, a favor do filho Norodom Sihamoni.

As autoridades esperam a participação de um milhão de pessoas durante os quatros dias de cerimónias.