Última hora

Última hora

Biden quer reforço da parceria entre Estados Unidos e Europa em termos de Defesa

Em leitura:

Biden quer reforço da parceria entre Estados Unidos e Europa em termos de Defesa

Tamanho do texto Aa Aa

O vice-presidente norte-americano apelou em Munique ao reforço dos laços transatlânticos. Joe Biden frisou que a Europa continua a ser “o parceiro indispensável dos Estados Unidos” e vice-versa.

As declarações foram feitas na Conferência sobre a Segurança, que se realiza este fim de semana na cidade alemã.

Biden disse que “manter as nossas capacidades é o que nos permite avançar com a nossa agenda global comum. Essa é apenas uma razão pela qual uma Europa forte e capaz é algo que está profundamente nos interesses dos Estados Unidos e do mundo em geral”.

O “número dois” da Casa Branca apelou nomeadamente aos países europeus para “cooperarem mais” com Washington para garantir a estabilidade da região Ásia-Pacífico.

O secretário-geral da NATO insistiu, por seu lado, na necessidade de reequilibrar a “indispensável” parceria transatlântica.

Anders Fogh Rasmussen exprimiu o desejo de que, no futuro, “nenhum aliado forneça sozinho mais de 50 por cento de determinadas capacidades essenciais. Isso significa que os aliados europeus devem fazer mais e mostra por que razão as iniciativas europeias são vitais. Uma contribuição europeia forte para as capacidades da NATO, manterá um compromisso forte dos Estados Unidos na organização”.

O correspondente da euronews, James Franey, afirma que “a principal preocupação de Washington é que os aliados europeus percam influência global, se continuarem os cortes na Defesa, sobretudo num contexto onde a China parece preparada para se tornar numa superpotência militar. Mas é pouco provável que o aviso de Biden mude as políticas nas capitais europeias num futuro próximo. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, recusou excluir novos cortes na Defesa, caso seja reeleito em 2015”.