Última hora

Em leitura:

Reino Unido "canta vitória" com austeridade no orçamento da UE


A redação de Bruxelas

Reino Unido "canta vitória" com austeridade no orçamento da UE

A austeridade ganhou a segunda ronda negocial do Orçamento da UE para 2014-2020. O orçamento, mais pequeno do que o anterior, satisfaz o primeiro-ministro britânico, que cantou vitória no final dos dois dias de cimeira, em Bruxelas.

“Penso que as pessoas entendem que o grande problema até agora é que o limite do cartão de crédito para a União Europeia foi sempre muito alto e continuamente aumentado. Muitos queriam empurrá-lo ainda mais para cima, mas finalmente alguém disse para acabarmos com isso e que o limite do cartão de crédito tinha de descer”, disse David Cameron.

Para contentar a França e países da coesão, mais expansionistas, deixou-se intacta a agricultura e o desenvolvimento regional, cortando nas políticas para uma Europa mais moderna e inovadora.

Portugal até ganhou com esta estratégia, arrecadando mais do que esperava, mas o Parlamento Europeu deverá reagir mal à quantidade de cortes.

O presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompoy disse que tinha chegado “o momento da verdade, de assumir responsabilidades. Os Chefes de Estado e de governo assumiram as suas responsabilidades e, tal como nós, cabe ao Parlamento Europeu assumir as suas”.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Audrey Tilve, realça que “há quem visse o Reino Unido enfraquecido e isolado após ter prometido um referendo sobre a União Europeia, mas a verdade é que conseguiu impor a austeridade com a ajuda de alguns aliados. Resta saber se o Parlamento Europeu partirá para o confronto”.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

A redação de Bruxelas

Orçamento da UE "encolheu" e tem "buraco" de 52 mil milhões