Última hora

Última hora

Turistas incrédulos com renúncia do papa

Em leitura:

Turistas incrédulos com renúncia do papa

Tamanho do texto Aa Aa

Assim que a notícia da renúncia do papa se tornou pública, a Praça de São Pedro, no Vaticano, encheu-se de câmaras de televisão, mas também turistas e fiéis, a maioria incrédula, como pôde constatar a jornalista da euronews, no Vaticano, Loredana Pianta.

“Estávamos à procura do nosso grupo, do qual nos tínhamos perdido e, de repente, apercebemo-nos que havia muitas câmaras aqui e foi então que percebemos: ‘Meu Deus! Estamos a assistir a um momento histórico’!”, congratula-se uma turista americana.

Uma mulher italiana emite reservas: “Talvez tenha sido forçado a demitir-se. É algo que não acontecia há cerca de 500 anos, pelo que ouvi. É algo forte!”

E um jovem italiano afirma: “Parece-me uma grande decisão. Este momento obriga-nos todos a refletir.”

Para uma freira, presente na Praça de São Pedro, trata-se de uma verdadeira surpresa: “Não estávamos nada à espera. Não estamos contentes porque gostávamos muito dele. Encomendamo-nos a Deus. Este mundo está às avessas.”

Uma turista sul-americana já está, por seu lado, de olhos postos no futuro: “Diziam que quando o cardinal Ratzinger saísse, viria um papa negro. Então, estamos esperando o papa negro”

Enquanto o próximo papa não é eleito, o atual ainda tem uma agenda a cumprir. A começar pelo, agora tão esperado, discurso da cerimónia da Quarta-Feira de Cinzas, como refere a jornalista da euronews: “Uma notícia incrível: o mundo católico, e não só, ainda tem dificuldade em acreditar que o papa possa ter dado este passo e agora todos esperamos para ouvir diretamente da sua boca, as razões desta decisão.”