Última hora

Última hora

Terá Ratzinger sido obrigado a renunciar?

Em leitura:

Terá Ratzinger sido obrigado a renunciar?

Tamanho do texto Aa Aa

“O Pontificado do Papa Ratzinger não foi simples. Já em 10 de fevereiro de 2012, um jornal italiano, “Il Fatto Quotidiano”, publicou um documento segundo o qual Bento XVI corria o risco de um atentado. Este artigo provocou um escândalo. Viemos à redação do jornal para perceber o que se passou”.

No dia 10 de fevereiro do ano passado, a manchete do “Il Fatto Quotidiano” fez tremer a Igreja Católica. O jornal revelava uma rede de relações perigosas e anunciava a morte de Bento XVI, no prazo de um ano. Segundo a direção do jornal, na altura, o porta-voz do Vaticano ameaçou processar o quotidiano, mas depois desistiu da ideia.

“ O padre Lombardi foi obrigado a admitir que o documento de que falámos existia realmente, mas disse que não devia ser tido em consideração, que era uma fantasia. Neste momento, constatamos que é o contrário, que as informações sobre as lutas clandestinas no interior do Vaticano eram reais”, afirma o diretor, Antonio Padellaro.

O artigo revelava as relações azedas entre Joseph Ratzinger e o seu secretário de Estado, Tarcísio Bertone e as alegadas declarações do cardeal Paolo Romeo, na China, segundo as quais, o Papa teria apenas um ano de vida.

Citando fontes internas da Igreja, o jornal referia que Bento XVI estava a preparar o arcebispo de Milão, Angelo Scola, para lhe suceder, mas que este conta também com muitos inimigos no seio do Vaticano.