Última hora

Última hora

Uma história de sonho que pode terminar em pesadelo

Em leitura:

Uma história de sonho que pode terminar em pesadelo

Tamanho do texto Aa Aa

As próteses que usa não só para correr mas também para o seu dia-a-dia tratam-se da única realidade conhecida por Oscar Pistorius, que viu ambas as pernas amputadas quando contava apenas onze meses devido a uma deformação congénita.

Ainda assim ousou sonhar e chegou mais longe que o comum dos cidadãos. Desde jovem que o desporto faz parte da sua vida, praticou râguebi, luta, ténis e até polo aquático antes de se dedicar de corpo e alma ao atletismo.

As suas prestações nas provas de velocidade alimentaram o sonho olímpico e precisou de recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto para poder participar nos Jogos, o que veio a acontecer no verão passado em Londres.

Desde 2007 que Pistorius estava habituado a correr com os melhores e na capital inglesa atingiu as meias-finais nos 400 metros e a final na estafeta de 4×400 metros.

Uma proeza sem precedentes para um atleta sem pernas, que o tornou num dos desportistas mais mediáticos do planeta, um verdadeiro símbolo de que com força de vontade não há impossíveis.