Última hora

Última hora

Como reparar um coração?

Em leitura:

Como reparar um coração?

Tamanho do texto Aa Aa

Os ataques cardíacos já não são uma sentença de morte mas, com cada vez mais sobreviventes, há cada vez mais pessoas a viver com um coração danificado.

Imagine-se capaz de, com uma simples seringa, ser capaz de injetar células saudáveis num coração doente. Estas células estariam envolvidas num tecido de gesso, que não só substitui as células mortas, como dá início a um processo de regeneração da área afetada.

É essa a área de estudos de Suwan Jayasinghe, no laboratório de bioengenharia da Universidade de Londres: “Colocamos as células num líquido que lhes é favorável. Depois, esta solução é posta numa agulha elétrica. Quando as células são injetadas, formam um spray, semelhante ao que se forma quando alguém tosse ou cospe”, explica o investigador.

A eletricidade a 10.000 volts passa pela agulha para criar o campo elétrico que controla as células.

Nestas fotografias feitas por microscópio, vemos as células a entrarem no coração: “O que vemos aqui são as células do coração que criámos. Ao fim de alguns dias, podemos monitorizar a atividade fisiológica. Neste caso particular, estamos a tentar explorar a atividade elétrica que passa pelas células cardíacas. É uma atividade que podemos acompanhar usando este equipamento”, conta Vassilis Georgiadis, parceiro de Suwan nesta investigação.

Atualmente, a cirurgia é a única forma de ultrapassar as doenças cardíacas, mas os cientistas acreditam que, um dia, as operações vão deixar de ser necessárias.