Última hora

Última hora

Comissão da ONU quer os crimes de guerra na Síria julgados no TPI

Em leitura:

Comissão da ONU quer os crimes de guerra na Síria julgados no TPI

Tamanho do texto Aa Aa

“É necessário agir com urgência para garantir justiça para os crimes cometidos” na Síria, pode ler-se no relatório da comissão independente da ONU sobre a violência no país. Membro da comissão presidida pelo brasileiro Paulo Pinheiro, Carla del Ponte considerou que chegou a hora de “pôr em marcha a justiça internacional”. Del Ponte afirma que “a comunidade internacional e, em especial, o Conselho de Segurança têm de tomar a decisão de remeter o caso à justiça”.

Como a Síria, tal como os Estados Unidos, não assinou o Estatuto de Roma, que estabeleceu o Tribunal Penal Internacional, o organismo só poderá atuar se o caso lhe for entregue pelo Conselho de Segurança da ONU, onde a Rússia, aliada de Assad e com poder de veto, tem mostrado oposição a uma tal iniciativa.

O relatório de 131 páginas responsabiliza ambas as partes por crimes de guerra e crimes contra a humanidade, para além de identificar sete massacres, cinco cometidos por forças governamentais e dois pelos rebeldes. A comissão afirma que irá entregar à ONU uma lista confidencial com nomes de suspeitos de crimes de guerra e de crimes contra a humanidade e que os dois lados do conflito violaram os direitos das crianças.