Última hora

Última hora

Paris suspeita do Boko Haram no sequestro de franceses

Em leitura:

Paris suspeita do Boko Haram no sequestro de franceses

Tamanho do texto Aa Aa

O trabalhador da empresa francesa Suez e seis membros da família, incluindo quatro crianças, sequestrados na reserva natural de Waza no norte dos Camarões, na terça-feira, estarão nas mãos do grupo islamita Boko Haram. Terão sido transportados para a Nigéria.

Ninguém ainda reivindicou o atentado, mas o ministro francês da Defesa, Jean-Yves Le Drian, revelou as suspeitas de Paris. “Acreditamos que o Boko Haram está por detrás do rapto, mas ainda não temos a assinatura. Infelizmente o terror vem depois do horror. Agora, este grupo – pois pensamos que é o Boko Haram – está no processo de sequestrar crianças”, afirmou.

O ministro recusou atribuir uma relação com a intervenção francesa no Mali dizendo que são coisas totalmente distintas. A população camaronesa está apreensiva. “Estou a ficar preocupada porque isto são coisas que não ouvimos no nosso país. Não temos conflitos ou relações com terroristas”, diz Marie Gisele Alima, em Doula

A população dos Camarões junta-se à comunidade francesa que vê o futuro com apreensão, como Coraline Molinie. “Pensávamos estar abrigados de grupos islamitas mas infelizmente estamos a perceber que existe uma forte presença dessas forças por aqui”, confessou.

Para alguns analistas, a confirmar-se a autoria do Boko Haram, será um ponto de viragem para África pois um grupo considerado terrorista está atuar fora das suas fronteiras num país relativamente calmo. No total 15 franceses estão sequestrados, todos em África.