Última hora

Última hora

Realizador palestiniano retido Los Angeles

Em leitura:

Realizador palestiniano retido Los Angeles

Tamanho do texto Aa Aa

Um filme sobre o dia a dia da Palestina nomeado para os oscares mas não sem polémica.

O cineasta palestiniano Emad Burnat foi parado e ameaçado de deportação antes de entrar nos Estados Unidos.

O seu filme foi nomeado na categoria Melhor Documentário Feature mas os funcionários da imigração pediram provas e retiveram e o filho de 8 anos de idade.

“Cinco Câmeras foram destrúidas e querem mandar-me embora para casa. Portanto, é muito importante para mim estar aqui para assistir ao Oscar porque é um dia histórico para a Palestina para falar do filme.”

Reuniram ontem na Academia de Artes e Ciências cinematográficas de Los Angeles para comemorar seus filmes, num evento organizado por Michael Moore este defende: “

“O pessoal segurança interna estava a tentar evitar isto. Você é um agricultor, você é palestiniano e você é um candidato ao Oscar. Precisamente e eu estou nomeado para o Prémio Nobel sabe.?”

O filme mostra uma aldeia ocupada Cisjordânia partir de atividades diárias com a família entre protestos e tiroteios.

O filho, com quem ele viajou Gibreel, foi a inspiração para a compra da primeira dessas câmeras em 2005; como tantos pais, Burnat queria documentar os primeiros passos e o sorriso do filho.

Mas acabou por captar também a tensão e a luta por território.