Última hora

Última hora

Bruxelas prevê agudizar da recessão e do desemprego em 2013

Em leitura:

Bruxelas prevê agudizar da recessão e do desemprego em 2013

Tamanho do texto Aa Aa

Com a economia a contrair 1,9% e o desemprego a subir para 17,3%, Portugal será em 2013 um dos casos mais emblemáticos do agudizar da crise na UE. Na divulgação das previsões económicas, esta sexta-feira, em Bruxelas, o comissário europeu para os Assuntos Económicos, Olli Renh, disse que “são dececionantes os dados do final do ano passado, mas recentemente começam a mostrar-se mais animadores e esperamos um aumento da confiança dos investidores no futuro”.

As projeções apontam para uma contração da economia na zona euro de 0,3% na zona euro. O país mais marcado pela recessão é a Grécia, com o PIB a cair 4,4%, seguindo do Chipre que cai 3,5%

Já o desemprego continua a bater recordes face aos últimos 20 anos, atingindo perto dos 30 milhões de cidadãos, 800 mil dos quais em Portugal. No caso dos 17 países que usam o a moeda única, o desemprego deverá aumentar para os 12,2%. Grécia e Espanha lideram, mas Portugal vem logo em terceiro lugar com 17,3%.
Os valores mais baixos registam-se na Áustria, Luxemburgo e Alemanha.

Hans Martens, analista do Centro de Política Europeia realça que os líderes europeus estão a exagerar na austeridade.

“Isto é um desastre, não só ao nível das instituições europeias, mas também ao nível dos estados-membros, e é um lembrete de que não fizeram o suficiente para estimular o crescimento e o emprego na Europa”.

Em reação aos dados da Comissão Europeia, o governo português voltou a a afirmar que precisa de um ano extra para cumprir o acordo com a troika.