Última hora

Última hora

Bento XVI afirma que renúncia ao cargo foi "vontade de Deus"

Em leitura:

Bento XVI afirma que renúncia ao cargo foi "vontade de Deus"

Bento XVI afirma que renúncia ao cargo foi "vontade de Deus"
Tamanho do texto Aa Aa

Bento XVI, pela última vez à janela dos aposentos do papa no Vaticano. A quatro dias de abandonar o cargo, o santo padre voltou a evocar as razões da sua renúncia, durante a oração dominical.

Depois das notícias sobre uma rede de corrupção no vaticano ou um lobbi gay que teriam forçado Joseph Ratzinger a demitir-se, o Papa respondeu com uma única razão: “Foi a vontade de Deus” que o levou a renunciar ao cargo.

“Deus chamou-me para subir à montanha, para que me dedicasse ainda mais à oração e à meditação”.

“Mas isto não quer dizer que eu vá abandonar a igreja. Pois se Deus me pediu que fizesse este esforço é precisamente para que eu possa continuar a servi-lo com a mesma dedicação e o mesmo amor”.

Antes de abandonar o Vaticano para a residência de Verão do papa, Bento XVI deverá assistir a uma última cerimónia na praça de São Pedro, na quarta-feira, devendo reunir-se pela última vez com os cardeais um dia depois. A partir das oito da noite, de quinta-feira (menos uma hora em Lisboa) o Vaticano entrará em período de “Sé vacante” antes do início do conclave que deverá eleger o novo sumo pontífice.