Última hora

Última hora

Affleck: "foi uma espécie de alucinação"

Em leitura:

Affleck: "foi uma espécie de alucinação"

Tamanho do texto Aa Aa

O realizador Ben Affleck nem queria acreditar. Argo arrecadou o Óscar mais cobiçado da noite: o de melhor filme. Nomeado para três prémios venceu, ainda, nas categorias de melhor argumento adaptado e melhor montagem.

O anúncio foi feito pela primeira-dama dos Estados Unidos que se juntou em direto à cerimónia de Los Angeles a partir de Washington.

“Foi uma espécie de alucinação e quando assim é algumas coisas parecem menos estranhas. E, portanto, ver Michelle Obama tornou-se natural embora tudo aquilo fosse tudo menos normal” afirma Affleck.

Esta foi uma noite que Jennifer Lawrence dificilmente vai esquecer. O desempenho em “Guia para um Final Feliz” valeu-lhe um Óscar para melhor atriz deixando para trás nomes como Jessica Chastain. e Emmanuelle Riva. Quando se dirigia ao palco, a atriz de 22 anos tropeçou e caiu.

“O que me passou pela cabeça quando caí? Uma palavra muito feia que começa por um F” refere Lawrence.

O prémio de melhor atriz secundária foi para Anne Hathaway pela interpretação em “Os Miseráveis”:

“Tinha um sonho que se tornou realidade. Isso pode acontecer e é e maravilhoso. E é isso que queria dizer. Não é um discurso articulado e peço desculpa por isso.”

O talento de Daniel Day Lewis voltou a ser reconhecido pela Academia de Artes e Ciências de Hollywood. O britânico de 55 anos levou para casa a estatueta dourada para melhor ator pelo papel em “Lincoln”.

Ang Lee arrecadou o Óscar para melhor realizador em “A Vida de Pi.”

“Amor” que conta com a participação de Rita Blanco foi distinguido como melhor filme estrangeiro.