Última hora

Última hora

UE exige reformas judiciais a Kiev

Em leitura:

UE exige reformas judiciais a Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia quer avanços concretos da Ucrânia até Maio em matéria de respeito do Estado de direito, em particular a resolução do que diz ser uma “justiça seletiva” no país, termo usado para designar perseguições lançadas contra opositores.

O prazo foi dado pelo presidente do Conselho Europeu Herman Van Rompuy na 16a cimeira entre os 27 e a Ucrânia, em Bruxelas. Em Kiev a oposição aproveitou o dia para realizar uma manifestação contra a chamada “repressão política”.

“A blasfémia do atual regime é que eles querem as suas contas no estrangeiro mas não querem parar com as repressões na Ucrânia. A Europa está à espera da Ucrânia, mas de uma Ucrânia livre de repressões, um Estado democrático e independente”, diz Oleksandr Turchynov, do partido Batkivshchyna, a mesma formação da antiga primeira-ministra, Julia Timoschenko.

O analista Oleksandr Banchuk, do Centro para Reformas Políticas e Judiciais explica o atual estado da luta contra a corrupção: é impossível para os investigadores criminais detetarem a corrupção de alto nível. Para mostrarem resultados eles apenas se focam naqueles que não se podem proteger”.

Para conseguir progressos na Ucrânia, a União Europeia faz depender um acordo de associação, onde se inclui uma parceria comercial, a ser assinado em Novembro.