Última hora

Última hora

EUA: prisioneiros libertados para poupar dinheiro

Em leitura:

EUA: prisioneiros libertados para poupar dinheiro

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de prisioneiros foram postos em liberdade condicional devido aos cortes orçamentais nos Estados Unidos.

O anúncio foi feito pela Agência norte-americana da Imigração e Alfandegas e justificado com o impasse no que toca ao plano fiscal.

Os prisioneiros que se encontravam em situação ilegal no país vão continuar a ser vigiados, mas os métodos utilizados devem permitir poupar dinheiro.

Barack Obama diz que a culpa é dos republicanos:

“Há demasiados republicanos no Congresso que recusam chegar a um compromisso em relação aos privilégios fiscais e é isso que está a criar um impasse neste momento. Ninguém está a pedir para que aumentem os impostos sobre os lucros. Estamos apenas a pedir que acabem com a fuga ao fisco. Uma solução que, há uns meses, o líder republicano da Câmara dos Representantes disse estar pronto a negociar.”

Os republicanos que controlam a Câmara dos Representantes rejeitam a ideia de uma maior fiscalização e responsabilizam o Presidente norte-americano pela falta de um acordo.

“O presidente anda a viajar pelo país há 16 meses em vez de se sentar com os líderes do Senado na tentativa de chegar a um acordo” refere John Boehner, speaker da Câmara dos Representantes.

Despedimentos e menos segurança nas fronteiras são algumas das consequências do corte automático nos gastos dos Estados Unidos. Efeitos que prometem fazer sentir-se na economia norte-americana:

“Cerca de 60 por cento dos nossos clientes são militares, depois seguem-se os estudantes universitários. Esta situação pode com certeza afetar o nosso negócio” adianta Carla Palencia da Wing Stop.

A falta de um acordo até a sexta-feira promete adiar o problema para o final de março, altura em que o Congresso deve renovar o financiamento das operações governamentais.