Última hora

Última hora

A magia do samba

Em leitura:

A magia do samba

Tamanho do texto Aa Aa

Brasil… Rio… É Carnaval, é samba, um tipo de música que nasceu aqui, trazido pelos escravos africanos e enriquecido pelos ritmos locais e pela tradição dos colonizadores europeus.

Qualquer vestígio de melancolia que possa existir nos cariocas desaparece durante o Carnaval. Afinal, é o triunfo do samba!

“A essência do samba é o ritmo. Evidentemente que há outros elementos, a grande variedade melódica e os temas abordados, mas o principal elemento é o ritmo e o sincopado. São a essência do samba”, diz o músico e compositor Gilberto Gil

“Se o amigo ou a amiga, não está feliz, alegre, ele não deve estar connosco, ele deve tentar outra coisa. Porque se o samba não traz felicidade e alegria, se naquele momento em que o amigo ou a amiga vestiu a fantasia, encarnou a personagem, não está feliz, ele não está connosco”, afirmou o diretor da escola de samba, Junior Schall.

“A sociedade brasileira adotou o samba como música nacional. O Rio de Janeiro nós sabemos que é a sede de uma das expressões do samba, das mais importantes, do Samba das escolas, do samba dos morros”, disse Gilberto Gil.

Na cidade maravilhosa, o Carnaval dura apenas alguns dias, mas a preparação estende-se por quase doze meses. Um trabalho árduo, executado pelas escolas de samba, que são centros sociais e recreativos que atraem jovens das favelas e profissionais do mundo do espetáculo.

Rosa Magalhães, uma famosa estilista do Carnaval, teve um papel importante na vitória da Escola de Samba Vila Isabel.

“A escola de samba tem essa coisa de agregar a gente. Não exige que você tenha dinheiro ou seja de uma certa forma. Quer dizer, é mais liberal, você pode ser pobre, rico, alto, baixo, tem lugar para todo o mundo. ‘Escola’ é uma forma de falar, porque na verdade é um grande clube”, explica Rosa.

“Os carros são como filhos com pessoas em cima deles que dão a vida. A vida é dada por aqueles que vão estar lá com alegria, alma e paixão. Nossos filhos ali estão apaixonados, felizes. E aí os nossos filhos cantam muito, sambam muito, os nossos filhos ganham vida”, realça Junior.

“Eu, não sei dançar direito, sou péssima cantando, não sei compor, eu sei gostar!”, brinca Rosa.

“Eu acho que a escola de samba para o Rio de Janeiro é a nossa magia. A nossa magia não tem explicação, a explicação tem que estar lá para ver, tem que estar lá para ouvir, tem que estar lá para sambar, ao seu jeito. Não tem que saber sambar assim ou dessa maneira, tem que expressar alegria com o corpo”, sublinha Junior.