Última hora

Última hora

Blatter: Não utilizar a tecnologia de linha de golo "seria uma tolice"

Em leitura:

Blatter: Não utilizar a tecnologia de linha de golo "seria uma tolice"

Tamanho do texto Aa Aa

De passagem por Edimburgo, na Escócia, para a reunião semestral do International Football Association Board (IFAB), o órgão que define as regras do desporto-rei, Sepp Blatter falou de racismo, do escândalo de manipulação de resultados e da tecnologia de linha de golo que a FIFA vai introduzir já a partir da Taça das Confederações, em junho, prova que serve de ensaio geral para o mundial de 2014 no Brasil.

O presidente da FIFA recordou o que se passou no mundial de 2010, em Bloemfontein, quando Frank “Lampard marcou um golo” que não foi validado. Agora, estão em testes “quatro sistemas e não utilizar um deles seria uma tolice” e a FIFA não pode ser “insensata”, afirmou Blatter.

O patrão do futebol mundial comentou também o escândalo de manipulação de resultados, ligado ao mundo das apostas, que a Europol denunciou no mês passado.

Segundo Blatter, “quando somos vítimas de manipulação de resultados, somos vítimas do nosso desporto. É por isso que o assunto é importante”, porque mesmo que o fenómeno só atinja uma “ínfima percentagem de jogos (…) cada resultado que é manipulado é um a mais”.

A Europol revelou a existência de uma “ampla rede” criminosa, com base na Ásia, que terá manipulado o resultado de centenas de jogos de futebol em todo o mundo, uma máfia alegadamente dirigida por Dan Tan Seet Eng.