Última hora

Última hora

"Sequestro fiscal" ameaça 5% do PIB americano

Em leitura:

"Sequestro fiscal" ameaça 5% do PIB americano

Tamanho do texto Aa Aa

A novela fiscal nos Estados Unidos prossegue esta sexta-feira com mais um capítulo, desta vez chamado “sequestro”. O presidente Obama reúne-se hoje na Casa Branca com os principais dirigentes democratas e republicanos do Congresso. Sem um acordo, a aplicação imediata de cortes no orçamento entra em vigor à meia-noite de Washington DC.

“O presidente fala em acabar com isenções fiscais mas apenas como solução para financiar mais despesa pública. Nós também queremos acabar com isenções fiscais mas se vamos fazer uma reforma fiscal temos de nos concentrar na criação de emprego em vez de financiar mais Estado” – afirmou o chefe de fila republicano na Câmara dos Representantes, John Boehner, antes da reunião na sala oval.

Sem solução à vista, o governo federal prepara-se para um corte de 85 mil milhões de dólares nos restantes meses do ano.

“Eu espero que se deixem de jogos políticos, comecem a trabalhar para o povo e façam o que têm de fazer” – refere uma trabalhadora contratada por uma agência federal.

O apertar do cinto vai obrigar a administração de Barack Obama a reduzir a força de trabalho, a cortar em serviços sociais e no orçamento da Defesa.

Estima-se que o sequestro fiscal tenha como consequência uma contração de 5 por cento do PIB americano. A dívida pública dos Estados Unidos é superior a 16 biliões de dólares.