Última hora

Última hora

Barack Obama "sequestrado" por cortes orçamentais

Em leitura:

Barack Obama "sequestrado" por cortes orçamentais

Tamanho do texto Aa Aa

Republicanos e democratas não conseguiram chegar ontem a um acordo para evitar o chamado sequestro fiscal, um conjunto de cortes automáticos na despesa do estado que entrou ontem em vigor. O presidente Barack Obama promulgou hoje a lei que compreende a redução de 63 mil milhões de euros na despesa, lançando acusações aos republicanos e prevendo o pior para a economia do país, caso o impasse se prolongue no congresso.

“Estes cortes não são inteligentes, vão danificar a nossa economia e sacrificar postos de trabalho. E o Congresso pode por fim a esta situação a qualquer momento, assim que os dois campos cheguem a um acrodo. É importante perceber que, mesmo que nem todos sejam atingidos por estes cortes, o impacto doloroso vai ser real. Muitas famílias de classe média vão ver as suas vidas singnificativamente abaladas”.

Para lá dos aeroportos, as despesas militares deverão ser as mais afetadas. Face à renitência dos republicanos em aumentar os impostos, o novo secretário da Defesa reuniu-se hoje com altas patentes militares para, segundo ele, evitar que os cortes orçamentais possam prejudicar a capacidade de defesa do país.