Última hora

Última hora

Netanyahu tem mais duas semanas para evitar eleições antecipadas em Israel

Em leitura:

Netanyahu tem mais duas semanas para evitar eleições antecipadas em Israel

Tamanho do texto Aa Aa

O impasse na formação de um novo governo em Israel, obrigou o presidente Shimon Peres a dar mais duas semanas a Benjamin Netanyahu, para tentar reunir uma coligação maioritária.

O primeiro-ministro cessante e vencedor do sufrágio de 22 de janeiro, com uma frágil maioria, conta até agora apenas com o apoio do partido de direita Beiteinu (Israel é a nossa casa) e do “Movimento”, o partido da antiga ministra dos Negócios Estrangeiros, Tzipi Livni, somando, no total, apenas 36 dos 61 lugares necessários para obter uma maioria no parlamento.

As primeiras quatro semanas de negociações são marcadas pela objeção dos centristas do Yesh Atid (“Um futuro é possível”) em aliar-se aos partidos religiosos e ultraortodoxos da coligação de Netanyahu.

A formação do ex-apresentador de televisão, Yaïr Lapid, que chegou em segundo lugar nas eleições, assim como o partido Bayit Yehudi (Lar Judeu), em quarto lugar no sufrágio, controlam, respetivamente 19 e 12 lugares do Knesset (parlamento israelita).

Ao contrário de Netanyahu, as duas formações exigem o fim das ajudas sociais e da isenção de serviço militar para a comunidade ultraortodoxa.

Se o impasse prosseguir até dia 16 de março, o país poderá ter de regressar às urnas, quando o presidente norte-americano Barack Obama deverá visitar a região no final do mês.