Última hora

Última hora

Shimon Peres acusa primeiro-ministro turco de "avivar a chama do ódio"

Em leitura:

Shimon Peres acusa primeiro-ministro turco de "avivar a chama do ódio"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente israelita acusou o primeiro-ministro turco de “avivar a chama do ódio”, ao considerar o sionismo como um crime de guerra, comparável ao fascismo e ao anti-semitismo.

Entrevistado sobre o tema, pela euronews, em Jerusalém, antes de uma visita à Europa, o chefe de estado afirmou lamentar as declarações que reancendem a tensão entre os dois países.

“Lamento profundamente. São declarações baseadas na ignorância e que avivam a chama do ódio. É uma das situações lamentáveis a que assisti nos últimos dias”.

Em causa estão as declarações proferidas por Erdowan, no dia 1 de março, em Viena, quando afirmou que “a islamofobia deveria ser considerada um crime contra a humanidade, ao mesmo nível do sionismo, o anti-semitismo e o fascismo”.

As declarações, condenadas por vários responsáveis políticos, abalaram a reunião de sexta-feira, em Ancara, com o novo secretário de estado norte-americano, Johh Kerry, num momento em que Washington tenta relançar o difícil dossiê das negociações de paz israelo-palestinianas.