Última hora

Última hora

Quénia aguarda resultado de eleições novamente manchadas pela violência

Em leitura:

Quénia aguarda resultado de eleições novamente manchadas pela violência

Tamanho do texto Aa Aa

No Quénia, procede-se à contagem dos votos do concorrido sufrágio que voltou a ser marcado pela violência, se bem que com uma expressão bastante menor do que há cinco anos.

Mais de 14 milhões de eleitores foram chamados às urnas para eleger o presidente, deputados, senadores, governadores regionais, membros das assembleias departamentais e representantes femininas para o Parlamento nacional.

Na corrida à sucessão do presidente Mwai Kibaki, os analistas prevêem uma segunda volta entre o primeiro-ministro Raila Odinga e o vice-chefe do executivo Uhuru Kenyatta, representantes das duas tribos que lutam pela direção do país africano.

Os primeiros resultados provisórios dão vantagem a Kenyatta, que é procurado pelo tribunal de Haia por crimes contra a humanidade nos conflitos pós-eleitorais que fizeram mais de 1200 mortos há cinco anos.

A afluência às urnas foi maciça e a jornada eleitoral foi “maioritariamente calma”, segundo os observadores internacionais.

No entanto, antes da abertura das urnas, pelo menos 15 pessoas -nove separatistas e seis polícias – morreram em dois ataques na região costeira, próximo de Mombaça.