Última hora

Última hora

Falkland/Malvinas: Argentina não reconhece referendo

Em leitura:

Falkland/Malvinas: Argentina não reconhece referendo

Tamanho do texto Aa Aa

Sim à manutenção da soberania britânica. Foi esta a resposta dada em referendo por mais de 90 por cento dos eleitores das ilhas Falkland ou Malvinas como, também, são conhecidas.

O chefe de governo britânico, David Cameron, pede à Argentina que respeite os resultados:

“As ilhas Falkland podem estar a milhares de quilómetros, mas são britânicas e é, assim, que as pessoas querem que continuem. Nós estaremos lá para as defender. Esta votação mostra que acreditamos na autodeterminação e que os habitantes deixaram claro aquilo que desejam para o seu futuro. Espero que todos os países respeitem este, claro, resultado.”

Os resultados não surpreenderam dada a origem britânica da maioria dos eleitores.

A consulta popular – que Buenos Aires diz não reconhecer – foi a resposta de Londres às pretensões da Argentina que, também, reivindica a soberania do arquipélago.

“Esta situação afeta toda a América Latina. A Argentina pede, apenas, para dialogar. Não está a dizer não mas a convidar as partes envolvidas a negociar e a ver o que têm a dizer as Nações Unidas” refere o argentino Mario Volpe, veterano de guerra.

O território esteve na origem de um conflito armado entre os dois países há cerca de três décadas. O mal-estar reinstalou-se no passado após o anúncio de uma nova descoberta de petróleo nas águas em redor das ilhas.