Última hora

Última hora

Ciberataque paralisa televisões e bancos na Coreia do Sul

Em leitura:

Ciberataque paralisa televisões e bancos na Coreia do Sul

Tamanho do texto Aa Aa

A tensão entre as duas Coreias poderá estar na origem do ciberataque que atingiu hoje o sul da península.

Um vírus informático de origem desconhecida paralisou os sistemas informáticos de três canais televisivos e de pelo menos dois bancos sul-coreanos.

As autoridades de Seul, que elevaram de 3 para 4 o nível de alerta de ciberataque, afirmam não terem, para já, quaisquer provas da implicação de Pyongyang.

A porta-voz da presidência sul-coreana anunciou a abertura de uma investigação à origem do ataque: “Criámos uma célula de emergência para lidar com a situação que reúne equipas civis, funcionários do governo e responsáveis militares”.

O ataque informático ocorre cinco dias depois da Coreia do Norte ter acusado Washington e Seul de uma ação similar, durante as manobras militares conjuntas dos dois países, e semanas depois da ONU ter reforçado as sanções contra o regime comunista.

O sub-secretário norte-americano do tesouro, David Cohen, deslocou-se hoje a Seul para discutir as medidas a adotar que deverão visar o principal banco norte-coreano.

Uma deslocação marcada por um protesto de dezenas de pessoas que exigem uma solução pacífica para pôr fim a um novo episódio de tensão, marcado pela ameaça de Pyongyang de lançar ataques nucleares preventivos contra Washington e Seul.

A presidente sul-coreana, Park Geun-hye, apelou hoje a Pequim para que intervenha junto do regime de Pyongyang para que este aceite regressar às negociações de paz, interrompidas há vários meses.