Última hora

Última hora

Turquia: líder dos rebeldes curdos deve fazer hoje apelo histórico à Paz

Em leitura:

Turquia: líder dos rebeldes curdos deve fazer hoje apelo histórico à Paz

Tamanho do texto Aa Aa

Na Turquia, todos os olhos estão postos em Abdullah Ocalan.

Espera-se que o líder do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, encarcerado numa prisão turca desde 1999, anuncie esta quinta-feira uma trégua, um passo essencial e histórico nas recentes negociações de paz entre a principal organização separatista curda e Ancara.

O anúncio irá coincidir com as celebrações do Newroz, o Ano Novo Curdo.

Um residente de Istambul de etnia curda afirma que “são todos irmãos. Não há distinção entre turcos e curdos”. Explica que vive “há muitos anos em Istambul e nunca ninguém lhe apontou o dedo dizendo: ‘és um curdo’. Esse problema não existe. Mas, por causa do conflito, as aldeias curdas estão vazias. Se houver paz, todos ficarão contentes”.

Ancara disse que as negociações preveem que os separatistas curdos baixem as armas e retirem milhares de combatentes do território, mas não explicou o que fará o governo turco em troca.

Para a colunista do jornal Milliyet, Asli Aydintasbas, “uma das razões [do acordo] é a perceção, de ambas as partes, de que não podem vencer. Não quer dizer que tenham perdido, mas sim que não podem ganhar”.

O combate dos independentistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão contra o Estado turco dura há quase três décadas e, segundo os dados oficiais, reclamou mais de 40 mil vidas. Os últimos dois anos foram os mais sangrentos desde a década de 90.