Última hora

Última hora

Ministro italiano dos negócios estrangeiros demite-se

Em leitura:

Ministro italiano dos negócios estrangeiros demite-se

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro italiano dos negócios estrangeiros demitiu-se, esta terça-feira. Giulio Terzi resignou depois do governo italiano em funções, de Mario Monti, ter decidido extraditar dois soldados italianos para serem julgados na Índia.

Terzi foi nomeado por Mario Monti em novembro de 2011 e afirmou que estava solidário com os militares.

“Renuncio porque discordo com a decisão de enviar novamente os militares para Índia. A minha discordância foi expressada mas não teve efeito pois a decisão do governo foi outra”, afirmou Giulio Terzi, esta terça-feira, na Câmara dos Deputados.

“Demito-me porque considero que é preciso proteger a honorabilidade do país, das forças armadas e da diplomacia italiana. Resigno porque estou solidário com aos nossos dois militares e com as suas famílias”, acrescentou.

Em comunicado, Mario Monti afirmou estar surpreendido com a demissão do chefe da diplomacia.

Os dois militares, Masimiliano Latorre e Salvatore Girone, são acusados do homicídio de dois pescadores, a 15 de fevereiro de 2012. Os militares alegam ter confundido os pescadores com piratas, quando faziam a segurança de um petroleiro italiano na costa sudoeste da Índia.

Latorre e Girone foram autorizados, pela justiça indiana, a retornar à Itália para votar nas eleições de fevereiro, com a promessa de retornarem à Índia antes de 22 de março.

O embaixador da Itália na Índia, Daniele Mancini, ofereceu-se como garantia de que os dois militares retornariam. A 11 de março o governo italiano anunciou que não iriam enviar os dois italianos de volta à Índia devido à “controvérsia internacional entre os dois Estados”.

A Itália considera que o caso está além da competência da justiça indiana pois considera que os acontecimentos se desenrolaram em águas internacionais.

A mudança de atitude provocou irritação na Índia. As autoridades do país decidiram impedir a saída do embaixador italiano, Daniele Mancini, do país.