Última hora

Última hora

Chipre: Depósitos superiores a 100 mil euros podem ser taxados a 40%

Em leitura:

Chipre: Depósitos superiores a 100 mil euros podem ser taxados a 40%

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades de Chipre ainda não sabem qual será a amplitude das perdas que irão sofrer os depósitos superiores a 100 mil euros. O ministro das finanças, Michael Sarris, admite que poderá andar em torno dos 40 por cento.

Michael Orphanides é um arquiteto que tem mais de 200 mil euros em contas bancárias e classifica a medida como um “roubo”.

“Não guardamos o dinheiro para o fim da vida para depois o tirarem. Isto é roubo em plena luz do dia, na pior forma. Até agora ninguém sabe se os cortes vão ser de 40, 60 ou 65 por cento. Esta é a variação. Sei que vai ser decidido nos próximos dias. Estou indefeso. Todos estes acontecimentos estão fora do meu controlo, contudo temos de pagar, com o dinheiro que nos custou a ganhar, para salvar os bancos e os políticos,” lamenta.

O resgate aos bancos de Chipre


  • O resgate vai implicar uma reestruturação importante do setor bancário de Chipre.

  • O segundo maior banco do país, o Laiki, vai ser dividido em dois – com uma nova instituição a ficar com os “ativos tóxicos” – e, de seguida, desmantelado.

  • Os depósitos inferiores a 100 mil euros, que estão garantidos pelas leis europeias, vão ser transferidos para o Banco de Chipre, o maior do país.

  • Os depósitos superiores a 100 mil euros, que não estão garantidos, vão ser transferidos para a instituição criada para absorver os ‘ativos tóxicos’, com perdas significativas para depositantes e acionistas em resultado do processo de liquidação do banco Laiki.

  • Os depósitos na instituição que vai gerir a massa falida – e os superiores a 100 mil euros no Banco de Chipre – vão ser congelados e utilizados para pagar as dívidas do Laiki e para recapitalizar o Banco de Chipre. As perdas para estes depositantes podem atingir os 40%, segundo algumas fontes.