Última hora

Última hora

Chipre: Tensão e expectativa antes da abertura dos bancos

Em leitura:

Chipre: Tensão e expectativa antes da abertura dos bancos

Tamanho do texto Aa Aa

Os cipriotas estão tensos e expectantes em relação ao futuro do país. Os bancos devem reabrir quinta-feira. Em Antenas, Grécia, as filiais dos cipriotas Bank of Cyprus, Laiki Bank e Hellenic Bank, abriram as portas esta quarta-feira.

Em Chipre a falta de dinheiro está a deprimir a população, como confirma esta cipriota: “As pessoas estão deprimidas. Ninguém sabe qual será o futuro. É um drama,” conclui.

Há quase duas semanas que os bancos estão encerrados. A população está expectante.

“Não nos podemos mover. As pessoas não têm dinheiro para se deslocarem. Estão com medo. Há muita incerteza. Não se sabe se os bancos abrem amanhã ou não”, nota um cipriota.

As autoridades cipriotas estão a ultimar medidas de modo a prevenir uma corrida aos bancos. Quinta-feira o governo deve anunciar qual será a amplitude das perdas que irão sofrer os depósitos superiores a 100 mil euros. O ministro das finanças, Michael Sarris, admite que poderá chegar aos 40 por cento.

Um casal de reformados britânicos, radicados em Chipre está ansioso. “Penso que eles não deveriam tocar no nosso dinheiro”, diz o britânico.

A mulher adianta: “Não sei se podem fazê-lo, mas o que podemos fazer? Quem me dera nunca termos vindo…

O setor bancário é a base da economia de Chipre. A crise da dívida do país coloca em causa a credibilidade das instituições bancárias cipriotas.

“Há muitas pessoas que vêm aqui com histórias muito tristes. É preocupante e assustador o que aconteceu com os bancos, uma organização oficial em que confiámos durante anos. Agora não se pode confiar mais neles,” conclui uma empresária cipriota.

O governo de Chipre chegou a acordo com Bruxelas, na segunda-feira, e comprometeu-se a reestruturar o setor bancário do país, em troca de um empréstimo de 10 mil milhões de euros.