Última hora

Última hora

Países árabes querem enviar armas para rebeldes sírios

Em leitura:

Países árabes querem enviar armas para rebeldes sírios

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição síria saiu reforçada da cimeira da Liga Árabe em Doha, no Qatar.

Os países árabes querem garantir os meios necessários à autodefesa da população e opositores ao regime de Bashar Al-Assad, entre eles militares.

A Síria esteve representada pelo líder demissionário da Coligação Nacional, principal força da oposição. Mouaz Al-Khatib ocupou o lugar deixado vago por Al-Assad em 2011 e pediu ajuda para derrubar o regime:

“Peço aos nossos amigos e irmãos, que nos apoiem como puderem para que nos possamos defender, que nos ajudem a conseguir um lugar nas Nações Unidas e noutras organizações, para que congelem todos os fundos do regime roubados ao povo sírio e os usem para reconstruir o país.”

Na Europa, o direito de armar os rebeldes sírios tinha sido já invocado pela França e pelo Reino Unido.

A Casa Branca excluiu, entretanto, a hipótese da NATO fornecer baterias de mísseis Patriot para proteger os bastiões rebeldes.

Euronews: “Da cimeira saiu uma mensagem político-militar para o presidente sírio, Bashar Al-Assad, que se encontra cada vez mais isolado, mas a posição dos países árabes não fecha a porta a uma solução política.”