Última hora

Última hora

Leite Camel na Europa ainda este ano

Em leitura:

Leite Camel na Europa ainda este ano

Leite Camel na Europa ainda este ano
Tamanho do texto Aa Aa

Vai uma chávena de café com leite? Nada de especial, mas nos cafés do Dubai bebe-se leite de camelo, mais precisamente de fêmea de dromedário. Apenas se servem chocolates e bebidas à base deste produto, muito apreciado na região. A novidade é que agora, os turistas que provaram e mesmo quem nunca bebeu, prode comprar este leite na Europa, ainda este ano.

Taghreed Turki, da Arábia Saudita conhece bem o popular leite:

“O meu avô e todos os meus antepassados diziam que este era o melhor leite do mundo, mas agora é o mais popular. É saudável e dizem que evita o cancro”.

A firma Camelicicious abriu no Dubai o primeiro de muitos cafés que pretende abrir pelo mundo. Os turistas aceitam muito bem.

É o caso de Derek Turner, do Reino Unido:

“Doce, mas não demais, refrescante e diferente de um modo agradãvel”.

Judy Havard, australiana, também gostou muito:

“Maravilhoso, é uma deliciosa chávena de café com leite e nem me apercebi que era leite de camelo”.

Na ultra-moderna produtora da Camellicious no Dubai, já se planifica uma expansão à escala mundial. O leite é produzido e engarrafado numa quinta com 3000 animais, há 10 anos. há um projeto para duplicar o tamanho da estrutura e diversificar os produtos: gelados, queijos, manteiga, etc.
O leite de camelo consome-se na região há muitos séculos e é três vezes mais rico em vitamina C do que o de vaca, ligeiramente salgado, com muito ferro e vitamina B. É um anti-oxidante poderoso, bom para a prevenção de diabetes e de outras doenças.

O Dr. Peter Nagy, proprietário de uma quinta, elogia as qualidades deste leite: “É fácil de digerir, tem mais vitaminas e menos gordura, ajuda a tratar os pacientes de tubesculose e têm-se verificado efeitos antivirais contra algumas viroses. “

Calcula-se que há 20 milhões de camelos no mundo, mas há 240 milhões de vacas. A produção em pequena escala está concentrada numa quinzena de países. O maior produtor era a Somália e a seguir a Arábia Saudita.

Camelicious não está sozinha no mercado, pois a União Europeia autorizou os produtos à base deste leite em 2010. Os empresários do setor acreditam no impulso do escoamento dos produtos.

Roddy-Fok-Shan, gerente destes cafés:

“Vamos estar nos mercados de paris, Londres, Seul e, brevemente, no Japão. Os mercados japonês, chinês e, geralmente, todo o mercado asiático, tem muitas espetativas em relação ao leite de camelo”.

A comecialização a curto prazo é feita a pensar nos 200 milhões de clientes potenciais no mundo árabe e muitos milhões de outros na Europa, África e América. Mas ainda há um enorme percurso para conseguir ter animais e leitarias em condições para conseguir chegar a tantos consumidores.