Última hora

Última hora

Chipre: Ministro das Finanças demite-se após concluir acordo de resgate financeiro

Em leitura:

Chipre: Ministro das Finanças demite-se após concluir acordo de resgate financeiro

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro das Finanças de Chipre demitiu-se esta tarde após concluir as negociações com a Troika sobre o plano de resgate financeiro do país.

Michael Sarris tinha sido o protagonista das difíceis negociações com o eurogrupo, assim como das tentativas falhadas para obter ajuda financeira de Moscovo.

O antigo diretor do Banco Popular, em processo de liquidação, justificou, esta tarde, a decisão de abandonar o governo:

“Coloquei o meu lugar à disposição do presidente, pois penso que é a melhor decisão a tomar para facilitar os trabalhos da comissão de investigação”.

O, até agora, ministro do Trabalho, Haris Georgiades, deverá assumir a pasta das finanças amanhã.

A saída de cena de Sarris coincide com a nomeação dos três juízes encarregues de levar a cabo um inquérito às responsabilidades da crise.

Os magistrados vão debruçar-se nos próximos três meses sobre as contas do Banco Popular de Chipre, os empréstimos obscuros a políticos e as fugas de capital nos dias anteriores ao acordo da troika que, alegadamente, implicam igualmente familiares do presidente.

A saída do ministro das Finanças ocorre quando Nicosia fechou esta tarde o acordo com a troika para receber 10 mil milhões de euros de resgate, em troca de cortes na despesa, a restruturação de dois bancos do país e o sequestro de até 60% do valor das contas bancárias acima dos 100 mil euros (contas não asseguradas).

Em contrapartida, o governo aligeirou hoje as restrições aos movimentos de capital, de 5 mil para 25 mil euros por dia, descongelando 10% dos ativos bancários relativos às contas não asseguradas.